Publicações · Destaque

TBERRIES | III EDIÇÃO WORKSHOP TRANSFORMAÇÃO DE PEQUENOS FRUTOS
  14 Mar

A Tberries nature flavours organiza no dia 14 de março de 2015 em Proença-a-Nova a III edição do workshop Transformação de Pequenos Frutos em colaboração com a Rubisco. Esta formação é dirigida a todos os interessados pela transformação de frutos, com especial destaque para os pequenos frutos. Do programa destaca-se a produção de compotas, geleias, chutneys, coalhadas, conservas, caldas, xaropes, vinagres, licores e frutos desidratados. Com esta iniciativa, a Tberries pretende alargar a abrangência do público das suas formações, normalmente focadas na instalação e produção de bens alimentares, mas também incrementar a produção de produtos transformados que possibilitem aumentar o grau de escoamento da produção nacional. Mais informações:https://tberries.wordpress.com/2015/02/26/tberries-iii-edicao-workshop-transformacao-de-pequenos-frutos/

FAO Moçambique fala sobre impacto das cheias na agricultura

A poucos dias da chegada da equipa de emergência da FAO às zonas afetadas pelas cheias do início deste ano, no norte e centro de Moçambique, o Representante da FAO no país, Castro Camarada, falou sobre o impacto que estas tiveram – e ainda têm – sobre a agricultura e a pecuária na região. Segundo o Representante da FAO, a coordenação entre os vários actores e o trabalho de alerta rápido têm sido bons – “já no final do ano passado se sabia que janeiro e fevereiro iriam ser meses críticos” – mas o desafio é grande: “ao mesmo tempo que vemos cheias na Zambézia, em Nampula, em Niassa e noutras províncias, Manica luta contra a seca”. Camarada falou no passado dia 18 de fevereiro no programa de televisão “Moçambique, Terra de Oportunidades”, um programa sobre agricultura e pecuária em Moçambique da TV Miramar. Mais em: http://www.fao.org/portugal/noticias/detail/pt/c/278615/

Ação de formação: Pastagens Permanentes de Sequeiro
  11 Mar

O Núcleo de Formação Contínua (NFC) do Instituto Politécnico de Portalegre (IPP) está a organizar a ação de formação "Pastagens Permanentes de Sequeiro" que irá decorrer na Escola Superior Agrária de Elvas (ESAE) do IPP, de 11 a 13 de março. Para além da ESAE, são entidades participantes o Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária, a Sociedade Portuguesa de Pastagens e Forragens, o Centro de Investigação de Montanha, a Fertiprado e a Albicerca. Esta formação é certificada pela Direção-geral do Emprego e das Relações de Trabalho (DGERT). Mais informações: http://www.esaelvas.pt/index.asp?item=dest&iddestaque=10 Programa em anexo

Bolsa Nacional de Terras apresentada à FAO

A iniciativa Bolsa Nacional de Terras, do Ministério da Agricultura e do Mar, foi no passado dia 23 de fevereiro apresentada ao Escritório da FAO em Portugal e junto da CPLP, numa reunião em que participaram Nuno Russo, Coordenador da Bolsa Nacional de Terras, Pedro Teixeira, Diretor-Geral de Agricultura e Desenvolvimento Rural, e Jorge Santos, Presidente da Câmara Agrícola Lusófona. Do lado da FAO estiveram presentes Hélder Muteia e Ana Muller. Esta reunião teve como objetivo dar a conhecer o projeto e analisar formas de gerar sinergias na divulgação do mesmo. Foram também discutidas possíveis parcerias no âmbito do Ano Internacional dos Solos, no sentido de encontrar pontos de interesse em comum, para o desenvolvimento de atividades conjuntas. Mais em: http://www.fao.org/portugal/noticias/detail/pt/c/278729/

A nova era da gestão dos recursos fitogenéticos para a Portugal

Em 13 de Fevereiro de 2015, o Banco Português de Germoplasma Vegetal - o banco de germoplasma nacional Português - lançou oficialmente um novo sistema de informação para gerir a sua preciosa coleção de recursos genéticos vegetais. A coleção tem uma importância estratégica para a segurança alimentar a nível nacional e global.Hospedado em Braga, Portugal, inclui 45.000 amostras de 150 espécies e 90 gêneros de cereais, plantas aromáticas e medicinais, fibras, forragens e pastagens, culturas hortícolas e outras espécies. O novo sistema é baseado em GRIN-Global, uma plataforma livre desenvolvido em um esforço conjunto da Global Crop Diversity Trust, o Serviço do Departamento de Agricultura e Bioversity International Estados Unidos Pesquisa Agropecuária. A coleção completa de recursos genéticos vegetais e os conhecimentos associados conservados no Banco Português de Germoplasma Vegetal é agora gerido por um sistema poderoso e eficiente e, pela primeira vez, as informações estarão disponíveis online para consulta pública. Desde 2011, Bioversity International tem vindo a trabalhar com o banco de germoplasma Português para implementar e avaliar o sistema, fortalecendo a capacidade dos funcionários para usar o sistema ao longo do caminho. As lições aprendidas com este processo são cruciais para o desenvolvimento, adoção e implementação de GRIN-Global em outros países e regiões. O objetivo da GRIN-Global é proporcionar aos bancos de germoplasma de culturas do mundo, com uma poderosa usina mundial de recursos genéticos do sistema, flexível, fácil de usar e de gerenciamento de informações que permitirá que bancos de germoplasma de todo o mundo para proteger permanentemente recursos genéticos vegetais vitais para a segurança alimentar global, e incentivar a utilização destes recursos pelos pesquisadores, criadores e agricultores. A cerimônia de lançamento do novo sistema foi realizada no banco de germoplasma em Braga, com a presença do Secretário de Estado da Alimentação e da Investigação Agroalimentar, o Presidente e Vice-Presidentes do Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária, autoridades civis e representantes de instituições de pesquisa nacionais e Bioversity International. http://www.iniav.pt/noticias/banco-portugues-de-germoplasma-vegetal-%28bpgv%29

52ª Feira Nacional de Agricultura | 6 a 14 de Junho 2015 | CNEMA - Santarém
  05 Jun

De 6 a 14 de Junho o CNEMA – Centro Nacional de Exposições e Mercados Agrícolas, S.A., vai ser palco da 52ª edição da Feira Nacional de Agricultura / 62ª Feira do Ribatejo. Durante nove dias os visitantes vão conhecer o mundo agrícola português em todas as suas vertentes: maquinaria, equipamentos, serviços, factores de produção e, os produtos agro-alimentares que resultam das melhores e mais avançadas técnicas e práticas agrícolas. Com cerca de 200.000 visitantes, dos quais 40.000 profissionais, a Feira Nacional de Agricultura é a mais importante e representativa montra do melhor que se produz em Portugal. O debate dos principais temas da actualidade agrícola estarão também presentes no ciclo de conferência “Conversas de Agricultura” que irão continuar a ser um importante pólo de atracção pelo grande número de colóquios e seminários realizados. Nas três últimas edições cerca de 6.000 profissionais participaram nestas iniciativas. A diversidade de equipamentos e serviços de agricultura, artigos comerciais, representação de associações e cooperativas do mundo agrícola, artesanato, venda comercial diversa ou as tradicionais zonas gastronómicas permitem cativar um leque alargado de público que visita a feira, seja profissional ou consumidor final. O evento volta a integrar o Salão Prazer de Provar que reúne no mesmo espaço os melhores vinhos, azeites, queijos, enchidos, méis, compotas, frutas, entre outros, e que contemplará várias iniciativas especialmente pensadas para juntar produtores, consumidores e profissionais. Em simultâneo, decorrerá a Fersant – Feira Empresarial da Região de Santarém, promovida pelo Nersant, e a Lusoflora de Verão – Exposição e Venda de Flores e Plantas de Portugal, organizada pela APPFN. A Feira Nacional de Agricultura/Feira do Ribatejo, apresenta-se, assim, como um espaço privilegiado de contactos e negócios, além de ser uma oportunidade para as empresas promoverem os seus produtos ou os seus serviços. Mais Informações: http://feiranacionalagricultura.pt/fna-2015/

Segunda edição do Vinhos de Portugal no Rio de Janeiro

Entre 22 e 24 de Maio, o Rio de Janeiro vai transformar-se na capital do vinho português. Pelo segundo ano consecutivo, Vinhos de Portugal no Rio, organizado pelo PÚBLICO e pelo jornal carioca O Globo em parceria com a ViniPortugal, pretende levar à cidade pelo menos meia centena de produtores portugueses. A edição de 2015 acontece no Jockey Club Brasileiro, na Gávea, zona sul do Rio. Este é um espaço considerado prestigiado e usado para eventos na cidade, onde, por exemplo, O Globo já realiza o Rio Gastronomia e o Rio Design. Mais em : http://www.publico.pt/economia/noticia/jockey-club-vai-ser-palco-da-segunda-edicao-do-vinhos-de-portugal-no-rio-1685748

Primeiro programa dedicado à agricultura desde o fim do TV Rural

A SIC Notícias vai estrear no sábado, 21 de Fevereiro, um magazine semanal sobre agricultura: Selecção Agricultura. O objectivo do programa, segundo o Meios & Publicidade, passa por “mostrar o novo momento do sector primário, desde as novas apostas de gestão agrícola até à conquista de novos mercados e a nova fileira biológica”. O programa é o primeiro desde o fim do TV Rural, em 1990, e terá uma duração de 15 minutos – será exibido semanalmente aos sábados pelas 9h40, com repetições aos domingos às 14h40 e 1h40, às terças às 15h40 e às quartas pelas 2h30. O programa estrutura-se na lógica da explicação e demonstração de um caso-estudo por semana, sendo que, na primeira emissão, o caso em destaque é o da Herdade do Vale da Rosa, que produz uvas sem grainha. Segue-se a BioBerço, uma empresa que produz frutos vermelhos e, no episódio três, o Selecção Agricultura explica o sucesso mundial do tomate português. Nas primeiras emissões os patrocínios do Selecção Agricultura são da Portugal Fresh, ID Forest e N Incentivos. Fonte: http://greensavers.sapo.pt/2015/02/19/sic-noticias-estreia-primeiro-programa-dedicado-a-agricultura-desde-o-fim-do-tv-rural/

Rota dos Vinhos Verdes investe meio milhão de euros no enoturismo

A Rota dos Vinhos Verdes (RVV) vai investir até final do ano de 2015 nos 49 concelhos do Minho que a integram, cerca de meio milhão de euros para promover o enoturismo, revelou fonte daquela estrutura. A mesma fonte adiantou que até final do primeiro trimestre deste ano estará concluído parte daquele investimento relativo à colocação de sinalização de novos aderentes e percursos pedestres, e à criação de uma central de reservas online. Até final do ano será feita a promoção de rotas temáticas e de campanhas publicitárias internacionais, a par de visitas de operadores turísticos nacionais e estrangeiros como da Alemanha, Reino Unido e Brasil. O investimento na promoção do enoturimo na RVV realiza-se no âmbito do projeto ‘Minho IN’ II, um consórcio constituído por 24 municípios, agrupados nas Comunidades Intermunicipais do Minho-Lima, Ave e Cávado, e por privados. Reúne ainda as associações de desenvolvimento local destas regiões e a Entidade Regional de Turismo Porto Norte de Portugal (ERTPNP) tendo como objetivo «transformar o território minhoto no primeiro destino enoturístico nacional, gerador de experiências e com relevância internacional». Fonte: http://agronegocios.eu/index.php/noticias/viticultura2/item/627-rota-vinhos-verdes-enoturismo

Colaboração científica entre as instituições brasileiras e o IPMA selada por protocolo de cooperação

No passado dia 13 de Janeiro, na sede do IPMA, foi assinado um protocolo de cooperação entre o IPMA a FUNDECT (Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia do Estado de Mato Grosso do Sul, Brasil) e a UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul) com vista a uma cooperação científica para a cooperação da formação graduada e pós-graduada. O objetivo é iniciar um Programa de Intercâmbio Científico e de Formação especializada em áreas de investigação de interesse comum entre o IPMA e a Universidade Brasileira, com a colaboração de investigadores e colaboradores do IPMA, tendo também em vista a realização de ações de formação mais generalizadas e da realização de colóquios conjuntos. Espera-se a continuação da frutuosa colaboração entre estas instituições, que poderá vir a ser importante para todo o IPMA e para o Estado Brasileiro de Mato Grosso do Sul. http://www.ipma.pt/pt/media/noticias/newsdetail.html?f=/pt/media/noticias/textos/protocolo-IPMA-FUNDECT-UEMS.html

I Curso de Podologia MilkPoint
  14 Mar

I Curso de Podologia Milkpoint Mais informações: http://www.milkpoint.pt/o-leite-e-a-sociedade/editorial/i-curso-de-podologia-milkpoint-93427n.aspx

É a alimentação animal mais barata e melhora os solos. Ainda há dúvidas?

Além de ser a maneira mais económica e eficaz de produzir alimentação animal (erva) a produção de prados é também um fator de riqueza e valorização da terra. É com base neste conhecimento que Francisco Abreu tem desenvolvido a sua atividade ao longo dos últimos 30 anos, hoje em dia materializada na empresa Nutriprado que gere com o seu filho, Vasco Abreu. Se é tão eficaz produzir um prado porque é que é preciso o trabalho de uma empresa? Esta pode ser a questão que os leitores agora estão a colocar. Semeiam-se as espécies pretendidas, deixam-se crescer e está pronto! Nada mais errado.... Deixemos as explicações para quem sabe. Acompanhámos Francisco Abreu e o seu filho ao Couto das Veladas, exploração situada no Norte Alentejano, onde a empresa tem prestado os seus serviços e bem demonstrativa de que instalar um prado não é tarefa fácil. Mais em: http://www.vozdocampo.pt/1/e_a_alimentacao_animal_mais_barata_e_melhora_os_solos_ainda_ha_duvidas_1906167.html

A fileira da castanha em Portugal: uma fileira de oportunidades

A produção mundial de castanha representa atualmente cerca de 1,9 milhões de t (FAO, 2013), das quais cerca de 1,7 milhões de t são produzidas na Ásia, contribuindo a Europa com cerca de 200 000 t. Em termos Europeus, Itália é o maior produtor de castanha com cerca de 50 000 t, sendo Portugal igualmente um dos maiores produtores com cerca de 47 500 t segundo estimativa da RefCast – Associação Portuguesa da Castanha. Estima-se que a castanha portuguesa possa valer anualmente, cerca de 70 M €, valor pago à produção, podendo ainda movimentar cerca de 30 M € em fatores de produção. A seguir à pêra rocha é o fruto com maior exportação, valendo cerca de 30 M €. Mais informações: http://agronegocios.eu/index.php/hortofruticultura/item/456-a-fileira-da-castanha-em-portugal-uma-fileira-de-oportunidades

Hora do Planeta 2015
  28 Mar

Faltam 30 dias para que indivíduos, organizações, empresas, cidades e monumentos icónicos de todo o planeta desliguem as suas luzes durante uma hora para assinalar a Hora do Planeta 2015 que terá lugar no dia 28 de Março, sábado, 20:30 - 21:30 hora local. A mensagem da Hora do Planeta deste ano é sobre o poder que todos temos para combater as alterações climáticas: Use your power to change climate change – Usa o teu poder contra as alterações climáticas. A Hora do Planeta tem crescido e é hoje a maior campanha ambiental do mundo, mobilizando milhares de milhões de pessoas em mais de 7.000 cidades e vilas, em 162 países e territórios. Em Portugal, cerca de 100 cidades e vilas aderem à iniciativa. A 9ª Edição da Hora do Planeta em Portugal será marcada pela transformação de energia humana em energia eléctrica. Vamos criar na Praça do Martim Moniz, em Lisboa, uma pequena vila eco-colorida – Glow Village - na qual todas as acções que irão decorrer, antes e depois do “apagão”, serão alimentadas e iluminadas por energia humana, num fundo de luz negra e tintas glow. Desta forma vamos tornar esta praça de Lisboa no ponto de luz mais ecológico e sustentável do Mundo. A partir das 19h00 do dia 28 de Março, convidamos todas as pessoas a criarem energia para o evento, pedalando, dançando, criando, pulando e sorrindo.

Finanças e Segurança Social também vão contribuir para a bolsa de terras

Responsável da Bolsa Nacional de Terras abandonadas diz que procura é muita, mas terrenos disponíveis nem sempre respondem às necessidades dos agricultores. É preciso aumentar oferta. O Ministério da Agricultura, liderado por Assunção Cristas, quer que outros ministérios e também os bancos contribuam para a Bolsa Nacional de Terras abandonadas. Há ano e meio que o governo tem esta bolsa a funcionar para ajudar quem quer começar ou alargar uma exploração agrícola. A ideia é facilitar o aluguer ou venda dos terrenos. Em ano e meio, a bolsa registou 339 terras públicas e privadas. Quase 50 já estão a ser exploradas e outras 24 perto de chegar a essa fase. Ou seja, apenas um quinto dos terrenos disponíveis. À TSF, o coordenador do projeto, Nuno Russo, defende que é um resultado positivo, mas admite que é preciso crescer. Até porque a procura é muita, mas as terras na bolsa não são com frequência aquelas que os agricultores procuram. Para responder à procura, a curto prazo o objetivo é incluir terrenos abandonados dos bancos, mas também de outros ministérios como Finanças e Segurança Social que já fizeram esse levantamento. A bolsa de terras do Ministério da Agricultura tem nesta altura 268 terrenos abandonados à espera de agricultores, numa área que no total equivale, mais ou menos, ao tamanho da cidade de Lisboa. Do lado da Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP), o presidente defende que são precisos benefícios fiscais para levar mais privados a colocar terras abandonadas nesta bolsa do governo. Apesar da pouca adesão dos privados, João Machado diz que o projeto está a funcionar cada vez melhor, mas ainda há um longo caminho a fazer. Entrevista a Nuno Russo coordenador da bolsa de terras: http://www.tsf.pt/PaginaInicial/Portugal/Interior.aspx?content_id=4398678&page=1

Jovens agricultores «prioritários para desenvolvimento do país»

A ministra da Agricultura considerou, esta quinta-feira, que os jovens agricultores são prioritários para o desenvolvimento do país, por isso deu prioridade às medidas de apoio à instalação de agricultores até aos 40 anos, cujas candidaturas começam dia 23 de fevereiro. «O Governo português percebe que os jovens agricultores são absolutamente prioritários para o nosso país», disse Assunção Cristas à agência Lusa no final do X congresso do milho. De acordo com a ministra, Portugal tem assistido a «um forte dinamismo dos jovens agricultores» e, por isso, o Governo deu prioridade política às novas regras para apoiar jovens agricultores, no âmbito do Programa de Desenvolvimento Rural (PDR2020), definidas em portaria publicada hoje em Diário da República. Os apoios à primeira instalação de jovens agricultores (entre 18 e 40 anos) exigem que estes estejam enquadrados na categoria de micro e pequenas empresas, tenham adquirido a titularidade da exploração agrícola e apresentem um plano empresarial com a duração de cinco anos e respetivos investimentos. O montante do apoio à instalação é de 15 mil euros (incentivo não reembolsável) que pode ser acrescido de 25%, 50% ou 75%, se o plano empresarial incluir investimentos superiores a 80, 100 ou 140 mil euros, respetivamente. Pode ainda ter acréscimo de 5 mil euros se o jovem for membro de um agrupamento ou organização de produtores reconhecidos no setor relacionado com a instalação. «Há muita gente à espera, a preparar os seus investimentos. Muitos preferiram esperar pelas novas medidas para se instalar e por isso a nossa preocupação era pôr as medidas cá fora tão cedo quanto possível», disse a ministra da agricultura e do Mar lembrando que Portugal foi o primeiro Estado-membro da União Europeia a abrir a medida a jovens agricultores. No encerramento do Congresso do Milho, Assunção Cristas elogiou o dinamismo do setor e o contributo que este deu para reduzir o défice do setor agro-alimentar, que nos últimos três anos e meio diminuiu 1.300 milhões de euros. No final do encontro a ministra disse à Lusa que a produção de milho «tem tido anos excecionais» e tem dado «um contributo muito significativo» para o setor agro-alimentar. «Este setor está forte e a crescer, está com um bom dinamismo. Todos os anos o nosso défice agro-alimentar tem diminuido, e também na área dos cereais, com a ajuda do milho», afirmou. Luis Bulhão Martins, da direção da Associação Nacional de Produtores de Milho e Sorgo (ANPROMIS), considerou que o congresso de dois dias, em Lisboa, foi positivo porque permitiu a cerca de 500 produtores discutirem temas importantes para o setor. O comércio internacional, a variação excessiva dos preços do milho, que atualmente estão em baixa, os efeitos da nova Politica Agricola Comum (PAC)no setor e os custos energéticos foram, segundo o dirigente associativo, as principais preocupações manifestadas pelos participantes.

Projeto do ISA premiado no ‘EUREKA Innovation Award 2014’

“LycopenRaman” é o projeto EUREKA EUROSTARS 4906 que ficou na 2ª posição da categoria ‘Added Value’ O júri de avaliação dos projetos candidatos ao ‘EUREKA Innovation Award 2014’ atribuíram 190 pontos, em 200, ao projeto EUREKA EUROSTARS 4906 “LycopenRaman”, ficando este na 2ª posição da categoria ‘Added Value’ (http://www.eurekanetwork.org/projects/success-stories/-/journal_content/...). Este projeto tem como parceiros a RSP Systems A/S (Denmark), a Danish Technological Institute (Denmark), a Fomento da Industria do Tomate (Portugal) e o ISA/ULisboa (Portugal). Segundo o júri, “The project consortium represents a good mix of SMEs and research institutions. There has been a good distribution of work in the project. All partners are well described in the application. The project represents an interesting and innovative combination of technology and application in a traditional industry. Industrial partners are focused on high quality food on emerging markets. Functional food is increasingly becoming an important societal issue. “ A EUREKA é uma organização intergovernamental orientada para a transferência de tecnologia das unidades de investigação para a indústria, funcionando como uma rede de facilitadores na coordenação do financiamento de apoio à inovação para a promoção da produtividade e competitividade das empresas europeias, nomeadamente no que respeita à exportação de produtos alimentares. O pressuposto da EUREKA, no qual o projeto “LycopenRaman” se enquadra é de que o desenvolvimento tecnológico pode ser uma alavanca para o desenvolvimento das exportações de produtos alimentares da europa para o mercado mundial e, consequentemente, para o desenvolvimento económicos dos estados membros, do desenvolvimento sustentável e do emprego. A importância deste projeto prende-se com o facto de Portugal ser um excelente produtor de tomate, em quantidade e qualidade, sendo este uma fonte de Licopeno (substância carotenóide que dá a cor avermelhada ao tomate e que é um antioxidante que, quando absorvido pelo organismo, ajuda a impedir e reparar os danos às células causados pelos radicais livres e tem também propriedades anti-cancerígenas) cada vez mais valorizado nos mercados europeus, asiático e australiano.

António Carrapatoso planeia investimento no agroalimentar

António Carrapatoso, ex-presidente da Vodafone Portugal, poderá estar a planear investir no setor agroalimentar. A notícia foi avançada pelo jornal Expresso, que refere que o executivo esteve em Berlim, na Fruitlogistica, em representação de um conjunto de investidores, onde se reuniu com vários empresários agrícolas e do ramo agroalimentar nacional. De acordo com o jornal, António Carrapatoso está “fortemente empenhado” na entrada no ramo agrícola, uma vez que este “se está a revelar um sector de forte crescimento, com uma grande componente de inovação e, não menos importante, atualmente muito virada para a exportação". O gestor já terá tido reuniões com o presidente da Portugal Foods, Amândio Santos e com José Pedro Salema, presidente da EDIA. Fonte: Vida Rural

FINANCIAMENTO DO SEGURO DE COLHEITAS NO PDR 2020

Foi publicada a Portaria nº 18/2015 que possibilita o financiamento do novo Seguro de Colheitas para 2015. Este seguro será financiado com fundos comunitários, através da Medida 6 “Gestão do Risco e Restabelecimento do Potencial Produtivo” do Programa de Desenvolvimento Rural 2014-2020 (PDR 2020), estando também já assegurado o financiamento relativo a 2014. Mais informações poderão ser consultadas no Comunicado emitido pelo Secretario de Estado da Agricultura.

Vitacress entra na Polónia e na Alemanha para diversificar mercados

A Vitacress quer ter uma “terceira e uma quarta perna” a sustentar o negócio e além das vendas que já faz para Espanha e Reino Unido (os seus dois maiores clientes fora de Portugal) começou a vender, pela primeira vez, para a Polónia e para a Alemanha. Luís Mesquita Dias, director-geral da empresa do grupo RAR, adianta que consolidar estes dois mercados, onde a Vitacress está há pouco mais de um mês, é uma das tarefas para esse ano. “Chegar à Polónia é um sonho antigo que se está a começar a concretizar. Fizemos alguns envios bem-sucedidos e esperamos continuar a fazê-lo até ao final da Primavera, altura em que lá começam a ter produção própria”, disse. As folhas de alface são enviadas para aquele país e o embalamento é feito localmente. Se tudo correr bem, as vendas recomeçam a partir de Outubro, estendendo-se até Abril do ano seguinte. Cerca de 30% da facturação (que se manteve nos 22 milhões de euros em 2014) é conseguida graças às exportações. A Vitacress tem diversificado produtos e está de olho nas ervas aromáticas, gama que por enquanto representa pouco mais de 7% nas vendas. O maior cliente deste produto é o Reino Unido. De acordo com Luís Mesquita Dias, a intenção é aumentar a produção em cerca de cinco hectares, o que significa um aumento da área coberta na ordem dos 50%. “Estamos a procurar soluções de pessoas que tenham áreas cobertas disponíveis, simplesmente em regime de aluguer do espaço ou que nos queiram vender ervas aromáticas se tiverem preparação adequada e corresponderem aos nossos requisitos técnicos”, explica. Consulte a notícia completa em: http://www.publico.pt/economia/noticia/vitacress-entra-na-polonia-e-na-alemanha-para-diversificar-mercados-1685242?page=-1