Publicações · Destaque

Bruxelas e BEI criam modelo financeiro para apoiar desenvolvimento rural

A Comissão Europeia e o Banco Europeu de Investimento (BEI) apresentaram hoje um modelo de instrumento de garantia que facilita o acesso dos agricultores a crédito e que pode ser adaptado pelos Estados-membros para configurar financiamentos. O modelo tem como objectivo ajudar os agricultores e outras empresas rurais no acesso a crédito e os Estados-membros, ou mesmo regiões, podem adaptá-lo para criar instrumentos financeiros ao abrigo dos programas de desenvolvimento rural, no âmbito do Fundo Europeu Agrícola de Desenvolvimento Rural (Feader). O investimento na transformação e comercialização, no arranque de empresas ou garantia em créditos para investimentos são outras utilizações possíveis do modelo de investigação. Com recurso a instrumentos financeiros, os agricultores "podem transformar um euro de dinheiro público em dois euros, três euros ou ainda mais através de empréstimos seguros que ajudem principalmente os jovens agricultores a criar investimento e emprego", disse o comissário europeu para a Agricultura, Phil Hogan. Ao abrigo das regras do Feader, Estados-membros e regiões podem incluir instrumentos financeiros (como fundos de garantia) nos programas de desenvolvimento rural no período 2014-2020. Fonte: http://www.sol.pt/noticia/127616

Encontro Anual das Ciências do Solo 2015
  23 Jun

Proteger as funções do solo – Assegurar a vida da Terra O ano de 2015 foi declarado pela Organização das Nações unidas (ONU) como o Ano Internacional dos Solos. Esta é, sem dúvida, uma excelente oportunidade para no âmbito da partilha e divulgação do conhecimento no Encontro Anual das Ciências do Solo (EACS 2015), promovido pela Sociedade Portuguesa da Ciência do Solo, sensibilizar e dinamizar a comunidade científica e a sociedade em geral para uma utilização segura do recurso solo. Na verdade, dois dos objetivos globais definidos pela ONU, dizem respeito a: Consciencializar a sociedade e os decisores públicos sobre a profunda importância do solo para a vida humana; Advogar por um reforço rápido da capacidade de recolha de informação sobre o solo e da sua monitorização em todos os níveis (global, regional e nacional). Assim, este Encontro tem por tema geral Proteger as funções do solo – Assegurar a vida da Terra trazendo a debate a importância do recurso solo na produção e qualidade dos alimentos, como reserva de biodiversidade, como regulador do ciclo hidrológico, do carbono e de outos ciclos biogeoquímicos bem como no desenvolvimento socioeconómico. Em resumo e salientado como refere a FAO, o solo é essencial para um planeta saudável e para o bem-estar humano. Site do evento: http://www.eacs2015.uevora.pt/

Figo-da-índia ganha terreno no país e exportação pode chegar em 2016

Em Portugal o figo-da-índia era até há pouco tempo desconhecido da maioria dos cidadãos. Mas, desde 2009, que a planta começou a ganhar terreno, quando alguns produtores descobriram o seu potencial económico. Nesse ano foi instalado em Sesimbra o primeiro pomar ordenado. Dois anos depois nascia uma associação para defender a fileira. Cultivado um pouco por todo o país, é no Algarve que assume maior expressão ao nível de área plantada. Com diversas aplicações (gastronomia, cosmética ou imobiliário), pensa-se agora numa estratégia de exportação que deverá arrancar em 2016. Mário Nunes, presidente da Associação de Profissionais de Figo da Índia Portugueses (APROFIP), em entrevista ao Agronegócios afirma que a «consciencialização por parte dos portugueses, de que o figo-da-índia representava um potencial económico a aproveitar, deu-se em 2011», altura em que a APROFIP começou a ser constituída e a desenvolver iniciativas para a promoção e valorização da planta. Normalmente, o figo-da-índia integra as memórias de muitos cidadãos no seu estado selvagem, sendo que era comum observá-lo à beira dos caminhos nas zonas rurais. Cenário que há seis anos a esta parte se alterou, com o seu aproveitamento na agricultura e para fins comerciais. Para se perceber melhor como a planta começou a ser aproveitada em Portugal e integrar um verdadeira fileira, é preciso recuar a 2009, quando foi instalado em Sesimbra o primeiro pomar ordenado, com uma área aproximada de 0,8 hectares (ha) para exploração de frutos. Um ano mais tarde surge outra iniciativa semelhante em Portalegre, «mas com o objetivo de se obterem cladódios (um tipo de caule que cresce paralelamente ao chão) como forragens, para alimentação de bovinos», recorda Mário Nunes. Só em 2011, depois da realização do primeiro concurso de “Aromas e Sabores com Figo-da-Índia” em Martim Longo, concelho de Alcoutim (Algarve), foi possível assistir-se a uma maior divulgação da Opuntia Ficus Indica (nome científico da figueira-da-índia). Estava dado o primeiro passo para a criação da APROFIP (a 4 de abril de 2012), nomeadamente com a manifestação por parte de muitos jovens e agricultores em apostarem na cultura desta planta. Mais em: http://www.agronegocios.eu/noticias/figo-da-india-ganha-terreno-no-pais-e-exportacao-pode-chegar-em-2016/

10º Congresso Ibérico e 7º Ibero-Americano de Contaminação e Toxicologia Ambiental - CICTA 2015
  13 Jul

Sustentabilidade Ambiental: Uma visão para o futuro A SICTA tem a honra de o convidar para participar no 10º Congresso Ibérico e 7º Iberoamericano de Contaminação e Toxicologia Ambiental, subordinado ao tema Sustentabilidade Ambiental: Uma Visão para o Futuro, que terá lugar na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, Vila Real, Portugal, de 14 a 17 de julho de 2015. O uso sustentável dos recursos ambientais e a preservação das espécies e dos habitats naturais é fundamental para não comprometer o futuro. A aposta na investigação científica e na inovação tecnológica é crucial para se conseguirem soluções sustentáveis que respondam às alterações globais e protejam o ambiente, o que exige uma reflexão de natureza multidisciplinar. Neste contexto, a presente edição do CICTA centra-se na discussão de temas relacionados com a contaminação e toxicologia ambiental, numa perspetiva integrada, e na divulgação de atividades de I&D efetuadas na Península Ibérica e nos países da América Latina. No seguimento do sucesso conseguido nas edições anteriores do CICTA, esta conferência pretende fomentar a discussão de questões relacionadas com a poluição e toxicologia ambiental num contexto ibero-americano, consolidando os vínculos entre as comunidades científicas de ambos os lados do Atlântico. No âmbito do Congresso, também terá lugar a Assembleia Geral da Sociedade Iberoamericana de Contaminação Ambiental e Toxicologia (SICTA), durante a qual se procederá à eleição do novo Conselho de Administração para os próximos dois anos. A UTAD e a região do Douro, sítio classificado pela UNESCO, esperam por si em julho de 2015. António Fontaínhas-Fernandes Coordenador da Comissão Organizadora CICTA2015 Presidente da SICTA Site do evento: http://www.cicta2015.pt/?page=home&subpage=&lang=pt

Congresso Internacional- O Montado de sobro e o setor corticeiro: uma perspetiva histórica e transdisciplinar
  11 Jun

Devido à reduzida área de implantação do sobreiro no planeta, circunscrita somente ao Mediterrâneo Ocidental e, dentro deste, particularmente à Península Ibérica, as riquezas produzidas neste sistema agrícola, cujo centro inequívoco é a extração e transformação de cortiça, apresentam-se como extremamente importantes do ponto vista social, cultural e económico para os países ibéricos. Possivelmente por este motivo, na última década, os estudos sobre o setor corticeiro, nas mais variadas áreas do conhecimento, têm-se vindo a renovar, muito embora diversos aspetos ainda se encontrem por explorar. No entanto, a dispersão de publicações, o número crescente de investigadores e as distintas temáticas analisadas tornam, por vezes, difícil a obtenção de uma visão de conjunto. Ainda assim, é notória a existência de numerosos pontos transversais, entre as diferentes áreas do conhecimento, que tendo como eixo comum o setor corticeiro, se tornam imperativos explorar. Assim, partindo da análise histórica da utilização dos produtos do montado de sobro, este encontro pretende, por um lado, reunir e analisar os mais recentes resultados que a investigação científica tem produzido, e, por outro, estimular a continuação da produção científica sobre o setor corticeiro nas mais variadas áreas do conhecimento. Neste sentido, o Congresso está aberto à participação de especialistas de qualquer área disciplinar, sendo que, se dará preferência às seguintes áreas temáticas: - História e Arqueologia; - Património Cultural e Turismo; - Economia e Gestão; - Arquitetura e Design; - Ciências Agrárias e Silvicultura; - Química e Física. Site do evento: https://congressointernacionalmontado.wordpress.com/

Portugal recebe em junho 28 países europeus para debater a economia rural

Encontro da Comissão de Recursos Naturais do Comité das Regiões decorrerá a 18 e 19 desse mês. Portugal recebe, em junho, um encontro da Comissão de Recursos Naturais (NAT) do Comité das Regiões, atualmente presidida pelo presidente da Câmara de Baião, José Luís Carneiro, que contará com a participação de 28 países da União Europeia (UE). A inovação e a modernização da economia rural será o tema central da reunião que se realizará entre 18 e 19 de junho, disse hoje à Lusa o autarca. "Queremos que deste encontro europeu resulte a convicção de que é necessário reforçar o diálogo entre os meios urbanos e rurais e, simultaneamente, a defesa de instrumentos que possibilitem valorizar esses territórios e os seus recursos", afirmou. A NAT é a comissão especializada do Comité das Regiões em turismo, desenvolvimento rural, saúde pública, proteção civil, pescas, política marítima, defesa do consumidor e silvicultura na União Europeia. "Foi com satisfação que verifiquei existir um apoio unânime à proposta que fiz para que ocorra uma reunião desta comissão em Portugal", frisou José Luís Carneiro. Acrescentando que será "um grande momento para a região e para o país". O autarca de Baião foi eleito presidente da NAT do Comité das Regiões a 13 de fevereiro para o mandato 2015-2020. Além disso, é membro da Comissão de Política de Coesão Territorial (COTER) para o mesmo mandato, tratando de questões ligadas aos fundos estruturais, ordenamento económico, política urbana, habitação ou transportes. O Comité das Regiões é um órgão consultivo, criado em 1992, e composto por 353 membros (igual número de suplentes), representantes locais e regionais dos 28 países da UE. A sua função é apresentar os pontos de vista regionais e locais sobre a legislação europeia, através de relatórios sobre as propostas da Comissão Europeia. A Comissão, o Conselho e o Parlamento Europeu devem consultar o Comité das Regiões antes da tomada de decisões sobre questões relativas à administração local e regional, por exemplo, sobre política de emprego, ambiente, educação ou saúde pública. O órgão realiza cinco sessões plenárias por ano e tem seis comissões especializadas: coesão territorial; política económica e social; educação, juventude, cultura e investigação; ambiente, alterações climáticas e energia; recursos naturais e cidadania, governação, assuntos institucionais e relações externas.

XIV CONGRESSO DE NUTRIÇÃO E ALIMENTAÇÃO
  20 Mai

Nos dias 21 e 22 de Maio irá decorrer o XIV Congresso de Nutrição e Alimentação da Associação Portuguesa dos Nutricionistas e que irá ter como objectivos: • Estimular a investigação científica nas vertentes da nutrição e alimentação; • Promover a divulgação dos recentes desenvolvimentos das ciências da nutrição e das suas aplicações; • Incentivar a troca de experiências na área das ciências da nutrição; • Intervir na melhoria da qualidade de vida dos cidadãos através da alimentação; • Promover a educação para a saúde através da alimentação; • Incentivar a prevenção de doenças através da alimentação; • Salientar a importância do incremento do tratamento nutricional de doenças; • Estimular a inovação alimentar na sua relação com a saúde; • Promover a qualidade e segurança alimentares. Mais informações e inscrições no site do evento: http://www.cna.org.pt/

Proposta de Lei 306/XII

Processo de reconhecimento da situação de prédio rústico e misto sem dono conhecido que não esteja a ser utilizado para fins agrícolas, florestais ou silvopastoris e o registo do prédio que seja reconhecido enquanto tal, nos termos do disposto no n.º 2 do artigo 9.º da Lei n.º 62/2012, de 10 de dezembro. LEgislação e mais informação: http://www.parlamento.pt/ActividadeParlamentar/Paginas/DetalheIniciativa.aspx?BID=39170

Agro IN Alqueva- Desafios e Oportunidades em Alqueva
  15 Abr

Alqueva é atualmente o principal centro nevrálgico do desenvolvimento do regadio em Portugal e um dos polos mais dinâmicos da agricultura nacional. São 120.000 hectares de terras com potencial agrícola com uma conjugação de variáveis que lhe dão vantagens competitivas inquestionáveis e que estão atrair investimento nacional e estrangeiro. É precisamente este potencial e atratividade que está a trazer novos desafios para os empresários e gestores agrícolas. Garantir a competitividade, criar valor acrescentado, reconverter sistemas culturais, descobrir novas culturas, organizar a fileira e abrir novos mercados são alguns dos pontos que merecem destaque no Agro IN Alqueva, uma edição especial totalmente dedicada ao regadio, organizado pela revista Vida Rural em parceria com a EDIA. E porque é essencial partilhar o impacto do regadio na gestão das empresas, convidámos, gestores, empresários, economistas, agricultores e dirigentes associados para discutir desafios e oportunidades e perspetivar o futuro. Inscrições e programa: http://www.agroin.ife.pt/homepage.aspx?menuid=1

FRUTEIRAS TRADICIONAIS DO ALGARVE - TRADIÇÃO E INOVAÇÃO
  24 Mar

O Grupo de trabalho “Fruteiras Tradicionais do Algarve - Tradição e Inovação” convida a assistir no Pólo Museológico dos Frutos Secos, em Loulé no dia 24 de Março de 2015 pelas às 17h à apresentação da Publicação “Características dos Frutos de Amendoeira” pelas professoras Maria Alcinda Neves e Maria Graça Miguel Mais em: http://www.in-loco.pt/pt/agenda/20150316/20150324-fruteiras-tradicionais-do-algarve-tradicao-e-inovacao-polo-museologico-dos-frutos-secos-loule/

Sessão de Informação PAC 2014-2020, Bolsa de Terras, Sistema de Seguros de Colheita e Regime Forfetário do IVA na Pequena Agricultura - 2015
  26 Mar

Sessão de informação a realizar no dia 26 de março de 2015 no Auditório da EXPO Oeste - Caldas da Rainha Inscrições e programa: https://docs.google.com/forms/d/1SZ6lkkwIUDUuGuiWzJPCtiBFaqXkN_lfZLcaSffGPG0/viewform

Algarve com acordos de cooperação para criar emprego no setor agrícola

A criação de emprego no setor agrícola. Este é o mote principal que está no centro dos dois acordos de cooperação estabelecidos esta semana entre o Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP), a Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP) e a Direção Regional de Agricultura e Pescas (DRAP) do Algarve. Os protocolos foram celebrados a 16 de março, nas instalações da Fazenda Nova da Hubel Agrícola, em Moncarapacho, no concelho de Olhão, na presença do presidente do conselho diretivo do IEFP, Jorge Gaspar, do delegado regional do Algarve do IEFP, Carlos Baía, do secretário-geral da CAP, Luís Mira, do diretor regional de Agricultura e Pescas do Algarve, Fernando Severino, e do administrador do Grupo Hubel, Humberto Teixeira. O acordo entre IEFP e CAP tem como objetivo o estabelecimento de um quadro de colaboração, que, atendendo à evolução expectável do investimento e criação de emprego no setor agrícola nos próximos anos, possa contribuir para o desenvolvimento dos recursos humanos do setor, nomeadamente através da dinamização das medidas de política pública de emprego e formação profissional que se relevarem mais adequadas e que estejam disponíveis em cada momento. Mais em: http://www.agronegocios.eu/noticias/algarve-com-acordos-de-cooperacao-para-criar-emprego-no-setor-agricola/

Programação em Ciências Ambientais
  20 Abr

O Workshop de Programação em Ciências Ambientais pretende dotar os alunos de conhecimentos de programação em Matlab, de forma aplicada, simples e clara. O objectivo é que os alunos possam usar esta ferramenta com grande potencial de forma autónoma no final do Workshop de modo a potenciar a qualidade do seu trabalho cientifico. Programa em anexo Mais informações: http://www.isa.ulisboa.pt/vida-no-isa/destaques/eventos-internos/20150414-workshop-programacao-em-ciencias-ambientais Inicio adiado para 21 de Abril

Programa Executivo Agrobusiness
  08 Abr

O Programa Executivo em Agroindústria nasce de uma análise profunda das necessidades regionais e nacionais e da importância crescente do sector Agroindustrial na economia moderna. Este é uma área em que a necessidade de uma gestão moderna e profissionalizada é essencial para responder aos desafios do crescimento e da competitividade internacional. O programa desenvolve ferramentas científicas e práticas centradas na especificidade do setor, permitindo aos seus gestores e executivos alavancar as suas competências de gestão. Mais Informações e inscrições: http://www.ddinisbschool.com/cursos/programa-executivo-agrobusiness

Governo deu luz verde aos mercados locais de produtores

O Governo aprovou hoje em Conselho de Ministros o regime jurídico aplicável aos mercados locais de produtores, uma legislação que pretende promover «o desenvolvimento dos produtos locais e do consumo local». A ministra da Agricultura, Assunção Cristas, presente na habitual conferência de imprensa após o Conselho de Ministros, afirmou que os mercados locais «podem ser constituídos por autarquias, organizações de produtores, ou mistos», visando «criar um espaço onde os produtores vendam diretamente aos consumidores e sem intermediários». Para Assunção Cristas, a aprovação deste regime jurídico «cria cadeias curtas na distribuição dos produtos», uma vez que «não havia um enquadramento legislativo para os mercados de proximidade local». Estes mercados de proximidade, segundo a ministra da Agricultura, têm apoio financeiro «através das verbas comunitárias», embora não tenha referido o montante: «Não temos um envelope fechado, mas há verbas suficientes para este projeto», frisou. Assunção Cristas afirmou que os mercados de proximidade «têm forte potencial para ajudar a desenvolver todo o território» e «valorizam a pequena produção». Segundo o comunicado do Conselho de Ministros, estes «sistemas agroalimentares locais estimulam a economia local e promovem a interação social entre as comunidades rural e urbana, desempenhando funções que beneficiam os produtores, os consumidores, o ambiente e a economia local». A 9 de janeiro, a ministra da Agricultura já havia anunciado estes mercados de proximidade, explicando que existem no país «exemplos extraordinários de modernidade, de inovação, de sofisticação, de capacidade exportadora precisamente na agricultura familiar» e adiantou que esta deve ser encarada como «motor de valorização do território» e «aprofundamento da riqueza e diversidade do país». Assunção Cristas lembrou na altura que a agricultura familiar representa a maior parte da agricultura praticada no país e que «não se opõe a uma arquitetura sofisticada, moderna ou inovadora, mas que é complemento de outros modelos de agricultura dita mais empresarial». A Assembleia Geral das Nações Unidas declarou o ano de 2014 como o Ano Internacional da Agricultura Familiar, apontando o seu papel na erradicação da fome e pobreza, no fornecimento de alimentos, na melhoria das condições de vida, na gestão de recursos naturais, na proteção do meio ambiente e na promoção do desenvolvimento sustentável. Fonte: Agencia Lusa

II Jornadas do Medronho
  21 Mai

Espécie típica do nosso país, o medronheiro (Arbutus unedo L.) desenvolve-se em diferentes zonas e a sua utilização apresenta um crescente interesse para diversos fins: » Produção de aguardente de medronho; » Produção de compotas, confeitaria, mel; » Valorização para consumo em fresco; » Valorização para compostos anti-oxidantes; » Utilização em projetos de arborização. Com o intuito de dar a conhecer aos interessados a situação atual da cultura do medronheiro no nosso país, as diferentes aplicações e as condições de financiamento, vão realizar-se na Escola Superior Agrária de Coimbra, em 22 de maio de 2015 as II Jornadas do Medronho. Site do evento: http://www.esac.pt/jornadas.medronho/

Seminário Ibérico de Ranicultura
  07 Mai

AGROTEC, a TecnoAlimentar e a Contamais Consultoria estão a organizar o primeiro Seminário Ibérico de Ranicultura, a decorrer no dia 8 de maio, no Porto (Campus Agrário de Vairão – Vila do Conde). A criação de rãs é um negócio emergente na Península Ibérica, aproveitando o enorme mercado de importação existente em França, Suíça e Alemanha, e as condições de produção excelentes na regiões mais quentes. Com este seminário pretende-se partilhar com os empresários e investidores a experiência de produtores e técnicos franceses e brasileiros, bem como os apoios ao investimento, rentabilidades possíveis e também as condições necessárias para o licenciamento. De destacar a presença do Dr. Yannick Ramage, especialista francês, que acompanhou a instalação da primeira unidade de produção industrial existente na Europa. O abate, a conservação e a transformação da carne e subprodutos serão também alvo de atenção neste seminário. Realizar-se-á também uma mesa redonda sobre “Legislação e Licenciamentos da Atividade”, que reunirá as entidades legais e gestoras da prática de Ranicultura. Informações e inscrições: https://contamaisconsultoria.wordpress.com/2015/03/11/seminario-iberico-de-ranicultura-abertas-inscricoes/

Ciclo de Seminários de Doutoramento ICAAM
  20 Mar

O Ciclo de Seminários de Doutoramento ICAAM destina-se à apresentação dos trabalhos em curso por alunos de doutoramento do ICAAM e dos cursos de doutoramento associados ao ICAAM Os Seminários têm lugar às sextas-feiras entre as 12h00 e as 12h30, e são abertos a todos os interessados. Dia 20 de março: A spatially explicit framework to assess soil erosion prevention vulnerability: contributions for ecosystem service mapping and management in Mediterranean land use systems. Carlos Guerra | Curso de Doutoramento em Gestão Interdisciplinar da Paisagem Fonte: http://www.icaam.uevora.pt/Noticias-e-Informacoes/Agenda/Ciclo-de-Seminarios-de-Doutoramento-ICAAM-20-marco

Iniciativa portuguesa procura 500 ideias para promover interior do país

A ColorElephant está a promover o concurso “Interior: Que Futuro?”, que espera receber 500 ideias válidas para promover as regiões do interior do país. O concurso constitui um desafio à sociedade civil para que se envolva activamente na construção do futuro dos territórios de baixa densidade, através da partilha de soluções. As três ideias vencedoras irão receber prémios da Microsoft. “Acreditamos que é da diversidade de experiências e abordagens que surgirão algumas das ideias mais interessantes, pelo que estas têm apenas que garantir que é algo prático e aplicável. Procuram-se ideias que ajudem em dois eixos: por um lado a dar resposta a desafios e problemas dos territórios de baixa densidade e, por outro lado que façam uso do potencial das regiões. Acompanharemos as ideias para que algumas delas consigam ser postas em prática com a ajuda dos nossos parceiros regionais e nacionais”, explicou Ricardo Sousa, CEO da ColorElephant e mentor deste projecto. As ideias podem ser de negócio, um exemplo a importar doutro país ou local, algo que autarquias podiam fazer ou um movimento civil; podem ser iniciativas de pequena ou grande dimensão, afectar muita gente ou apenas algumas pessoas. O objectivo é apresentar soluções para diminuir os factores que influenciam negativamente estas regiões ou explorar positivamente o potencial destas áreas. As ideias devem ser submetidas no site Interior20.pt até dia 25 de Março. As três ideias vencedoras serão escolhidas pelo júri constituído por: Emídio Gomes, presidente da CCDR-Norte (parceiro institucional da iniciativa); Ricardo Sousa, CEO da ColorElephant; Miguel Vicente, Audience Marketing Manager na Microsoft Portugal; e Frederico Lucas, fundador do Movimento Novos Povoadores. Fonte: http://greensavers.sapo.pt/2015/03/12/iniciativa-portuguesa-procura-500-ideias-para-promover-interior-do-pais/

Previsões de produção agrícola europeia

Segundo o último relatório da Comissão Europeia sobre as perspectivas de evolução do mercado a curto termo, a produção de leite e de carne deve aumentar em 2015, enquanto a de açúcar deve ter uma retracção. Assim, os peritos da DG Agri prevêem um aumento moderado da produção do leite de 1%. O aumento da produção será mais sensível nos seguintes países: Irlanda (+ 4,2%), Holanda (+ 0,8%) e Alemanha (+ 0,7%). Apesar de o preço dos produtos lácteos estar a subir no mercado mundial, não se prevê uma fácil recuperação no mercado europeu, devido ao grande aumento da produção registado em 2014 (+ 6 milhões de toneladas que em 2013) e, também, devido ao impacto do mercado russo. No que diz respeito à carne de bovino, a produção cresceu 2,1% em 2014 e espera-se que volte a crescer 2% em 2015. Os factores que vão contribuir para esta subida são o aumento das ajudas ligadas e a forte procura mundial. Mais em: http://www.agroinfo.pt/previsoes-de-producao-agricola-europeia/