Publicações · Destaque

Jornada FENAREG 2016 | Sustentabilidade Energética do Regadio | 23 Novembro
  23 Nov

A FENAREG irá realizar a Jornada Regadio 2016 sobre o tema da Sustentabilidade Energética do Regadio, que terá lugar no próximo dia 23 de Novembro, em Lisboa, no Myriad Cristal Center. O evento será centrado no enquadramento do regadio ao nível dos consumos e dos preços de eletricidade, na visão dos mercados de energia e nas politicas públicas, quer nacionais, quer europeias e dar orientações sobre os instrumentos financeiros que estão disponíveis para dar resposta às necessidades dos sectores, neste caso, do regadio. Agradecemos confirmação até 19 de Novembro através de Formulário online. Consulte o Programa e informações do evento em www.fenareg.pt.

AgTech FoodTech Summit
  04 Nov

Where Agriculture and Food Intersect with Farmers, Community, Founders, Investors, Technology, and Innovation More information: http://www.agtechfoodtechsummit.org/

VI Congresso Nacional de Rega e Drenagem (CNRD)
  12 Set

VI Congresso Nacional de Rega e Drenagem (CNRD) VII Congresso Ibérico das Ciências do Solo (CICS 2016) https://www.ipbeja.pt/eventos/VIICICS-VICNRD/Paginas/Apresentacao.aspx 13 a 15 de Setembro de 2016 Instituto Politécnico de Beja - Escola Superior Agrária, Beja Apresentação Solos e água: fontes (esgotáveis) de vida e desenvolvimento Após 2015 – Ano Internacional dos Solos, os objetivos da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável mantêm bem presente o vínculo entre os recursos solo e água e alguns desses grandes desafios para os próximos 15 anos. Erradicar a fome, assegurar a disponibilidade e a gestão sustentável da água para todos, combater as alterações climáticas, combater a desertificação, restaurar a terra e o solo degradados e lutar pela neutralidade de degradação da terra, são objetivos explícita e fortemente dependentes de uma gestão mais eficiente do solo e da água em cada território, desde o nível local até ao nível global. Com a realização conjunta do VII Congresso Ibérico das Ciências do Solo (CICS 2016) e do VI Congresso Nacional de Rega e Drenagem (CNRD) pretende-se promover abordagens integradas de investigação, gestão e administração dos solos e da água tendo em vista a sustentabilidade dos ecossistemas e dos agro-ecossistemas, bem como a valorização geral do território. A promoção de um uso mais eficiente e sustentável dos solos e da água torna-se uma tarefa estratégica para aumentar a produtividade do uso destes recursos e minimizar o impacto ambiental negativo associado à agricultura. No contexto ibérico de influência mediterrânea, em que se localizam os presentes congressos, pretende-se ainda dar especial atenção aos agro-ecossistemas de regadio. O VI Congresso Nacional de Rega e Drenagem (CNRD) e o VII Congresso Ibérico das Ciências do Solo (CICS 2016 )resultam de uma organização conjunta das seguintes entidades: • Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Beja (IPBeja) • Centro Operativo e de Tecnologia de Regadio (COTR) • Sociedade Portuguesa da Ciência do Solo (SPCS) • Sociedad Española de la Ciencia del Suelo (SECS) • Associação Portuguesa de Recursos Hídricos (APRH) • Secção Especializada de Engenharia Rural da Sociedade de Ciências Agrárias de Portugal (SEER - SCAP) • DGADR - Direção-Geral de Agricultura e Desenvolvimento Rural • DRAPAL - Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Alentejo • FENAREG - Federação Nacional de Regantes • Universidade de Évora (UÉvora)

terraDrone – De Portugal a São Tomé e Príncipe

Depois de fechar o ano de 2015 com um projecto piloto para a EDP, onde foram mapeados 90 km de faixas florestais para modelação do risco (ortofotos e carta de ocupação florestal), a terraDrone iniciou o ano com dois projectos de cariz inovador: 320 km de vídeo ao longo de linhas eléctricas, para monitorização da vegetação, e o mapeamento de 1,600 hectares de floresta e agricultura na Ilha do Príncipe, em São Tomé e Príncipe, assim como a cidade de Santo António. Este último projecto, cuja primeira fase foi agora concluída, tem como objectivo apoiar a implementação de sistemas agroflorestais para café, cacau e pimenta, através da criação de um mapa de aptidão agrícola para intervenção sustentável, numa iniciativa da empresa internacional HBD, que optou pelo mapeamento com drones para maior precisão e detalhe dos dados recolhidos. O produto final do projecto será um Sistema de Informação Geográfica para caracterização das concessões no que toca a espécies, proximidade de acessos e brisa marítima, identificação de focos populacionais, entre muitos outros factores de decisão. A terraDrone ficará também encarregue de formar um corpo técnico em SIG, para gestão da informação, e pela compilação de mapas antigos e respectiva conversão, georreferenciação e integração no SIG. Mais informações em info@terradrone.pt

IV Encontro MilkPoint: Terceira e S. Miguel
  02 Mai

Este evento decorrerá nos dias 2 e 3 de Maio na Ilha Terceira e no dia 4 em S. Miguel. As temáticas abordadas serão a Importância do Bem Estar na Exploração Leiteira, o Parasitismo na produção de Leite, PCOL, Controlo de Custos de Produção, entre outros. No final de cada sessão haverá ainda um espaço de debate com os principais intervenientes do setor do leite da Região sobre a evolução dos últimos meses.

Roteiro de Inovação Hortofrutícola
  03 Mar

O COTHN encontra-se a organizar o Roteiro de Inovação, que irá ter lugar na Exposalão na Batalha nos próximos dia 3 a 6 de Março, integrado na Frutitec/hortitec. No dia 3 de Março, pelas 10.00 horas, no auditório da Exposalão terá lugar um pequeno seminário denominado ”Inovação Hortofrutícola”, que conta desde já com a presença de um representante do PDR2020 e no qual será apresentados alguns dos projectos, no quais o COTHN foi parceiro. Durante os dias de feira, no stand do COTHN estará patente uma exposição denominada “Roteiro Hortofrutícola”, no qual estarão expostos 13 projectos dinamizados no antigo quadro comunitários do ProDer, na medida da Cooperação para a Inovação. A entrada para o seminários é gratuita, mas sujeita inscrição para (carmo@cothn.pt)

Seminário de final do projecto GesRocha: modelo de gestão para a pera rocha
  11 Fev

Irá ter lugar no próximo dia 11 de Fevereiro, pelas 14.00 horas no auditório da Cooperativa Agrícola de Alcobaça, o seminário final do projeto ProDer, GeroRocha: Desenvolvimento e um modelo de gestão da cultura da pera rocha. este dia conta com o patrocínio da Sipcam. Poderá ter acesso ao programa em anexo e fazer a sua inscrição utilizando o link indicado no mesmo, ou enviando um e-mail com o seu nome para carmo@cothn.pt. A participação é gratuita

LuMont – Rede de investigação de montanha da Lusofonia

Foi recentemente lançada no âmbito do Mountains 2016 a Rede de Investigação de Montanha da Lusofonia - LuMont. Visite a página da LuMont em http://cimo.esa.ipb.pt/LuMont/index.php/pt/ ou leia o post no blog do Mountain Research Initiative em http://www.blogs-mri.org/?p=802

Já está disponível a Bolsa de iniciativas para a constituição de Grupos Operacionais

Torne-se membro da Rede Rural Nacional e aceda à Bolsa de Iniciativas. Este é o 1º passo no sentido de montar Grupos Operacionais - projetos de inovação colaborativa entre estruturas associativas, empresas e instituições de I&D - no âmbito do PDR 2020. Saiba mais em: http://www.rederural.pt/index.php/pt/?option=com_content&view=article&id=1773&Itemid=682

Luz ultravioleta combate podridão de melão

A aplicação de flashes de luz ultravioleta (UV) pode evitar que cerca de 15% da produção nacional de melão se perca entre a colheita e a mesa do consumidor. Pesquisadores da Embrapa Agroindústria Tropical (CE) observaram que a UV pulsada pode controlar o fungo Fusarium pallidoroseum, o principal agente da podridão do melão. A infecção pode ocorrer no campo, logo após a colheita ou na empacotadora. Mesmo sob baixas temperaturas, necessárias para a exportação, o patógeno continua ativo. O desafio dos pesquisadores é encontrar tecnologias limpas para combater o problema. Entre as alternativas estudadas, estão a termoterapia; a aplicação de compostos naturais, como óleos essenciais de espécies botânicas; e o uso de luz ultravioleta. A luz ultravioleta contínua já é utilizada no controle de microrganismos em alimentos, água e ar. Diferente da luz aplicada de forma contínua, no modelo pulsado, a luz ultravioleta é armazenada em um capacitor e é liberada em flashes intermitentes, o que aumenta de forma instantânea a intensidade de energia. Por isso, o ultravioleta pulsado é mais efetivo e mais rápido na inativação de microrganismos. “O método não apresenta efeitos nocivos à saúde, não deixa resíduos e ainda pode aumentar o poder antioxidante das frutas”, completa o pesquisador. Os pesquisadores da Embrapa observaram que o tratamento com luz ultravioleta pulsada pode apresentar um efeito prolongado de proteção dos melões. Isso ocorre porque a luz afeta o metabolismo do fruto e aumenta o teor de compostos fenólicos (substâncias antioxidantes) que atuariam como uma espécie de vacina contra o ataque de microrganismos. Os cientistas ainda estão analisando a intensidade adequada de luz para o tratamento das frutas, mas os primeiros resultados são animadores. “Serão necessários novos projetos para finalização da tecnologia”, explica o pesquisador. Também participam dos trabalhos especialistas da Embrapa Tabuleiros Costeiros (SE) e Embrapa Agroindústria de Alimentos (RJ). “Já se sabia que este tipo de tratamento físico era eficiente durante a aplicação, mas foi observado efeito prolongado, pois a luz afeta o metabolismo e induz a síntese de compostos que continuam colaborando para a proteção da fruta contra novas contaminações”, revela o cientista. Os pesquisadores observaram também que com a UV pulsada o melão pode demorar mais a amadurecer, o que é uma grande vantagem para os produtores, pois aumenta o tempo de transporte e prateleira. Isso ocorre porque a luz reduz o efeito das enzimas que atuam no amadurecimento. Fonte: Embrapa Agroindústria Tropical

Projecto GoodHerbs

Projecto GoodHerbs Capacitação da Fileira das Ervas Aromáticas com o apoio do programa Erasmus+

Dia Aberto da Cultura do Arroz

A DRAPC vai organizar o Dia Aberto da Cultura do Arroz dia 3 de Setembro às 9.45 horas no Campo do Bico da Barca, em Montemor-o-Velho

Mountains 2016 já está em movimento
  02 Out

O Mountains 2016 é um evento internacional sobre desenvolvimento sustentável em áreas de montanha na Europa e no Mundo com base na ciência, no conhecimento e na inovação. Pretende reunir cientistas, decisores, agricultores e outros atores dos espaços de montanha de todas as regiões do planeta para partilharem experiências e discutirem soluções promotoras de desenvolvimento sustentável, local e globalmente. Terá lugar em Bragança em Outubro de 2016 integrando dois eventos complementares: a X Convenção Europeia da Montanha (EMC 2016) e a I Conferência Internacional sobre Investigação e Desenvolvimento Sustentável em Regiões de Montanha. A EMC 2016 é organizada bianualmente pela EUROMONTANA em diferentes regiões da Europa e em colaboração com uma das 75 organizações que a integram. A I Conferência Internacional sobre Investigação e Desenvolvimento Sustentável em Regiões de Montanha é um evento científico dirigido à partilha e discussão de métodos, ferramentas, resultados e aplicações de investigação em sistemas de montanha bem como à análise de tendências e desafios na gestão destes sistemas. A organização do Mountains 2016 é do Centro de Investigação de Montanha e do Instituto Politécnico de Bragança com a Associação Europeia da Montanha (EUROMONTANA), a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) a Cátedra da UNESCO em Desenvolvimento Sustentável de Montanhas e a Associação para o Desenvolvimento da Viticultura Duriense (ADVID), a Câmara Municipal de Bragança, a Associação de Jovens Agricultores de Portugal (AJAP), o Crescente Fértil (Brasil) e as organizações internacionais Mountain Partnership (FAO) e Mountain Research Initiative.

Bolota- Alternativa nutricional para celíacos

Uma equipa de investigadores da Universidade Católica do Porto divulgou os resultados de um estudo sobre as características nutricionais da bolota que indicam que esta pode ser uma alternativa para celíacos. Uma equipa de investigadores da Universidade Católica do Porto divulgou os resultados de um estudo sobre as características nutricionais da bolota que indicam que esta pode ser uma alternativa para celíacos e protege contra a oxidação do ADN. O estudo, conduzido por Manuela Pintado, revelou que “além do elevado valor nutricional da bolota fresca e da respetiva farinha, rica em fibra, proteína e com um perfil de lípidos semelhante ao azeite, com ausência de glúten, a bolota apresenta importantes compostos antioxidantes”, podendo revelar-se uma “alternativa” nutricional para pessoas intolerantes ao glúten. A equipa de investigação da Escola Superior de Biotecnologia da Católica Porto desenvolveu uma bebida de bolota fresca “desprovida de amargor” que demonstrou, pela primeira vez, “a capacidade de promover o crescimento das bactérias benéficas presentes na microbiota intestinal”. Para que os benefícios da bolota sejam aproveitados, os investigadores afirmaram que foi lançado um desafio a uma empresa da área para se tentar a produção de iogurtes que englobem as características “benéficas” do fruto seco. Fonte: http://observador.pt/2015/03/19/investigadores-do-porto-estudam-bolota-como-alternativa-nutricional-para-celiacos/

Missão da FAO defende "revolução agrária" em Moçambique

Uma missão multidisciplinar da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), em apoio à Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, considerou crucial o alinhamento das políticas agrícolas, acesso a insumos e compromisso dos camponeses para uma «revolução agrária» de sucesso em Moçambique. «É preciso aumentar a produção, conhecer as áreas e incrementar o rendimento por hectare», declarou Ruhiza Boroto, representante regional da FAO e chefe da missão para assistência a Moçambique. Após visita a campos agrícolas, assistidos por projetos da organização em Manica, Ruhiza Boroto disse que para «uma revolução agrícola sustentável», além de boas políticas agrárias estatais, os camponeses precisam ter acesso a sementes certificadas e estar comprometidos com o aumento do rendimento da produção. Ruhiza Boroto frisou que «não é suficiente ajudar o país a atingir um padrão de rendimento por hectare, para a competitividade regional no âmbito da agenda 2030», sustentando que o sucesso se complementa com a redução das perdas pós-colheita e acesso a mercados de qualidade. É ainda preciso, prosseguiu, fazer com que cada camponês «produza para comer, vender e atingir a autossuficiência». Por sua vez, Castro Camarada, representante da FAO em Moçambique, assinalou que a missão se encontra no país a pedido do Governo e várias iniciativas serão desenvolvidas no âmbito da agenda 2030 para tornar sustentável as áreas da agricultura, pescas e florestas. Avaliando como positiva a intervenção da FAO em Moçambique, Castro Camarada lamentou a persistência do conflito político-militar, que opõe o Governo e a Resistência Nacional Moçambicana (Renamo), principal partido da oposição, o que está a afetar vários projetos da organização na região centro de Moçambique. A iniciativa que cobre 47 países, incluindo Moçambique, pretende moldar os programas de desenvolvimento dos governos de uma forma transformadora para os próximos 15 anos. Moçambique foi incluído este ano na Iniciativa Regional 2 (RI2) da FAO sobre intensificação sustentável da produção e desenvolvimento de cadeias de valor. Fonte: http://www.confagri.pt/Noticias/Pages/noticia65078.aspx

O dia da FAO no ISA
  08 Nov

No dia 8 de Novembro, o Instituto Superior de Agronomia receberá o Representante da FAO em Portugal, Dr. Hélder Muteia, que fará uma apresentação intitulada "OS DESAFIOS GLOBAIS NA AGRICULTURA E NA ALIMENTAÇÃO". Este encontro terá lugar no âmbito dos Seminários da unidade de investigação LEAF, co-organizado pelo ISA e pela ADISA.

PICASSo , arco-irís de corantes orgânicos multi-funcionais provenientes de cogumelos e plantas

Há milénios que o Homem conhece diversas espécies de fungos e as utiliza para os mais diversos fins, incluindo o tingimento. O projeto PICASSo, reúne 3 empresas e 2 entidades do Sistema Científico e Tecnológico para desenvolver uma linha inovadora de produtos têxteis coloridos recorrendo apenas a compostos de origem natural extraídos a partir de plantas e cogumelos. Mais informação: http://www.poci-compete2020.pt/newsletter/detalhe/Projeto_PICASSo

Simpósio Ibérico do Montado – Beja 2016
  07 Out

O Simpósio Ibérico do Montado – Beja 2016 é uma iniciativa promovida pela ACOS – Agricultores do Sul e o pelo CEBAL - Centro de Biotecnologia Agrícola e Agro-Alimentar do Alentejo. O evento realiza-se no dia 7 de Outubro, integra a programação da RuralBeja e dirige-se principalmente aos produtores, agricultores e aos agentes económicos das diferentes fileiras associadas ao Montado. A Multifuncionalidade do Montado como ecossistema agro-silvo-pastoril, será o tema central da iniciativa que incidirá sobre as vertentes Florestal, Animal e dos Recursos Silvestres do Montado de Sobro e de Azinho. A participação é gratuita, solicitando-se, no entanto, inscrição prévia https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSfRocXNhLFZAP4MpBJZFPBQTaWa3u9OGirPRmmZtSyAs_QIuA/viewform?c=0&w=1

Refrigerador funciona sem eletricidade e armazena até 500 kg de alimentos

O Groundfridge é um frigorífico que não precisa de energia elétrica para funcionar. Criado pelo designer holandês Floris Schoonderbeek, o equipamento foi desenvolvido a partir de conceitos primitivos, usando a temperatura da própria terra para preservar os alimentos. O refrigerador foi construído para ser enterrado, aproveitando a energia natural do solo para funcionar. De acordo com o criador, o facto de ser enterrado no chão permite que o equipamento mantenha a temperatura constante de 10ºC a 12ºC durante todo o ano. Vegetais, vinhos e queijos são alguns dos produtos que podem ser mantidos em excelentes condições. O Groundfridge pode ser instalado em qualquer lugar, desde que esteja coberto por terra. Feito em poliéster leve, o equipamento resiste às raízes de árvores que estejam plantadas à sua volta. Outra característica que difere o refrigerador dos demais é sua capacidade de armazenar alimentos, que chega a ser 20 vezes maior do que os comuns. Cada Groundfridge está equipado com prateleiras que podem guardar até 500 quilos de alimentos. Além de reduzir os gastos com energia, o equipamento pode também ser útil na refrigeração de alimentos em locais onde não existe eletricidade. Fonte: http://portal.i9magazine.pt/refrigerador-funciona-sem-eletricidade-armazena-ate-500-kg-alimentos/

Investigadora do ISA selecionada para o Focus Group 23

A Investigadora Cecília Rego, membro do Centro de Investigação em Agronomia, Alimentos, Ambiente e Paisagem (LEAF) foi selecionada pelo “EIP-AGRI Focus Group: FG 23 on Diseases and pests in viticulture”. Passará, assim, a ser membro deste focus group integrado na DG Agriculture and Rural Development / Unit H5 - Research and innovation / AGRI-EIP. Saiba mais em: https://ec.europa.eu/eip/agriculture/en/content/diseases-and-pests-viticulture