41719271 1946378742088670 7030484945243996160 o
33ª jornada internacional do CILSS

18/09 às 15:42

As atividades deste ano incluíram plantações de árvores na Serra Malagueta e uma exposição de produtos florestais não lenhosos e produtos reciclados. Durante o mês de setembro haverá ateliers sobre questões ligadas à segurança alimentar e o reforço da resiliência das populações. O Comité Permanente Inter-Estados de luta contra a seca no Sahel, foi criado em 1973, na sequência das grandes secas que assolaram o Sahel na década de 70. O objetivo central é promover a segurança alimentar e lutar contra os efeitos adversos da seca e desertificação, promovendo o equilíbrio ecológico no Sahel. Atualmente, o Comité conta com treze estados-membro: Benim, Costa do Marfim, Gâmbia, Guiné, Guiné-Bissau, Mauritânia, Senegal, Togo, Burkina Faso, Mali, Níger, Tchade e Cabo Verde. O Sahel consiste numa região em que a insegurança alimentar é considerada crónica. Trata-se de uma zona constantemente confrontada com oscilações de produção, causadas tanto pelas fragilidades intrínsecas do Sahel e da África Ocidental, quanto pelas mudanças climáticas e transformações ligadas ao crescimento demográfico, urbanização e fragilização dos meios naturais. Assim, a segurança alimentar é, desde os anos 70, uma questão estratégica para os países da região. Em Cabo Verde, no âmbito da segurança alimentar a ênfase é dada aos stocks dos Produtos Alimentares de Primeira Necessidade (PAPN). Fontes de informação: https://www.facebook.com/MAA.gov.cv/ http://www.arfa.cv/index.php/noticias/957-cilss-comemora-43-anos

Homepage graph
Ciência Vitae: A FCT disponibiliza aos investigadores uma nova plataforma de gestão currícular

30/08 às 15:37

A FCT-FCCN disponibiliza a partir de agora uma nova ferramenta aos/às investigadores/as que permitirá uma gestão integrada dos seus currículos. A plataforma já se encontra disponível e com cerca de 330 inscritos. A intenção é que este sistema venha substituir todos os outros, agregando toda a informação curricular dispersa pelo portais DeGóis, FCT-SIG ou ORCID. Encontra-se ainda em fase de teste, contudo, parece esta plataforma vir resolver muitos dos problemas dos quais se queixam os/as investigadores/as, de duplicação e até multiplicação de currículos online. A adesão a esta plataforma permitirá que o/a investigador/a apenas necessite de actualizar o seu currículo uma vez para qualquer procedimento que seja necessário junto da FCT (e outras entidades). As dúvidas relacionadas com o registo estão a ser acompanhadas por este gabinete de comunicação. Mais informações em:https://www.cienciavitae.pt/

Ffee2447b152494b43d9816faaea83c8 m
III Fórum Qualidade e Competitividade Agro-Alimentar

29/08 às 17:23

Decorreu hoje no Hotel Polana, em Maputo, o III Fórum Qualidade e Competitividade Agro-Alimentar organizado pela AJAP - Associação de Jovens Agricultores de Portugal. O evento contou com a presença de várias entidades com relevância no sector agro-alimentar e não só, tendo intervido, nomeadamente, Suas Excelências o Ministro da Agricultura e Segurança Alimentar de Moçambique, a Senhora Embaixadora de Portugal em Moçambique, o Secretário de Estado da Internacionalização, o Secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural de Portugal, o Presidente do Conselho Europeu de Jovens Produtores e ainda o Vice-Presidente da FENAGRi Numa primeira parte, realizou-se uma Mesa Redonda subordinada ao tema "Valorizar a Produção na Cadeia de Valor", na qual se insistiu na importância da promoção da agricultura como actividade com grande potencial de crescimento económico em Moçambique e se sublinhou o mútuo interesse de fomentar parcerias e partilha de conhecimentos e tecnologias entre Portugal e Moçambique. No segundo Painel, intitulado "Financiar a Produção, Melhorar a Qualidade", tomaram a palavra vários dirigentes de entidades do sistema financeiro, nomeadamente do Banco Nacional de Investimento, Fundo Nacional para o Desenvolvimento Sustentável e o Senhor Presidente do Conselho de Administração da Bolsa de Valores, e identificaram-se os campos prioritários de investimento, não só a nível macro, como no que respeita a pequenas e médias empresas, e acesso a micro-crédito por parte dos pequenos produtores. 80% da agricultura em Moçambique continua a ser de subsistência, e do evento saiu-se com a mensagem geral que, para causar a evolução desta situação para um panorama em que a produção agro-pecuária possa representar uma fatia mais significativa do PIB de Moçambique, é necessário apostar na força motriz da nova geração de jovens agricultores, investir na formação e capacitação tanto a nível técnico e de empreendedorismo, e em simultâneo facilitar o acesso a crédito e criar oportunidades de negócio e investimento. A cooperação internacional, nomeadamente o estreitar de relações e a união de esforços entre Portugal e Moçambique, será uma componente indispensável do processo. «Estamos juntos!», foi a expressão que rematou este Fórum. http://www.ajap.pt/index.php/component/k2/item/5-iii-forum-qualidade-e-competitividade-agro-alimentar

Ver mais

Destaque ·

Page 1
Promover a inovação nos sectores agrícola, alimentar e florestal em Cabo Verde - A importância de uma rede de partilha de conhecimento e tecnologia

19/01 às 10:49

A elaboração do presente documento teve como objetivo a realização de um levantamento e caracterização inicial da situação atual da agricultura e desenvolvimento rural em Cabo Verde. Este levantamento foi realizado de um ponto de vista científico e tecnológico, abrangendo tanto o sector público como o sector privado. Esta caracterização é essencial para o desenvolvimento de propostas de diretrizes para a promoção da inovação nos sectores agrícola, alimentar, florestal e ambiental, nomeadamente no que se refere à criação de uma rede nacional de partilha de conhecimento e tecnologia em Cabo Verde. O processo de levantamento e caracterização dos sectores agrícola, alimentar e florestal foi realizado através de: - Contacto com universidades e instituições relevantes quer para os sectores agrícola, alimentar e florestal quer para a inovação; - Recurso a artigos científicos, documentos oficiais e informações disponíveis online. Em alguns casos não foi possível confirmar as informações obtidas através das páginas Web oficiais das instituições, pelo que algumas delas podem encontrar-se desatualizadas. 2016/2017 Pode fazer o download do documento em anexo ou consultar o ebook em: https://issuu.com/inovisa/docs/skan_cplp_cv_final

Page 1
Promover a inovação nos sectores agrícola, alimentar e florestal em Moçambique: A importância de uma rede de partilha de conhecimento e tecnologia

06/09 às 17:40

A elaboração do presente documento teve como objetivo a realização de um levantamento e caracterização inicial da situação atual da agricultura e desenvolvimento rural em Moçambique. Este levantamento foi realizado de um ponto de vista científico e tecnológico, abrangendo tanto o sector público como o sector privado. Esta caracterização é essencial para o desenvolvimento de propostas de diretrizes para a promoção da inovação nos sectores agrícola, alimentar, florestal e ambiental, nomeadamente no que se refere à criação de uma rede nacional de partilha de conhecimento e tecnologia em Moçambique. O processo de levantamento e caracterização dos sectores agrícola, alimentar e florestal foi realizado através de: - Contacto com universidades e instituições relevantes quer para os sectores agrícola, alimentar e florestal quer para a inovação; - Recurso a artigos científicos, documentos oficiais e informações disponíveis online. Em alguns casos não foi possível confirmar as informações obtidas através das páginas Web oficiais das instituições, pelo que algumas delas podem encontrar-se desatualizadas. Pode fazer o download do documento em anexo ou consultar o ebook em: https://issuu.com/inovisa/docs/skan_cplp_mz

Cat%c3%a1logos projectos 20150608 completo %281%29
Catálogo SKAN Projetos e Tecnologias – Agricultura, Agroindústria, Indústria Alimentar, Floresta e Recursos Naturais – Portugal

08/06 às 17:14

A realização do presente catálogo, a cargo da equipa operacional da Plataforma SKAN, teve como objetivo reunir e sistematizar informação sobre projetos e tecnologias que contaram com a participação de entidades portuguesas do sistema científico e tecnológico e promover a sua disseminação pelo tecido empresarial nacional, ao nível do sector agrícola, alimentar e florestal, no sentido de melhorar a competitividade internacional das empresas nacionais. O processo de levantamento e seleção dos projetos e tecnologias foi realizado com base nos seguintes critérios: Participação de pelo menos uma entidade portuguesa do sistema científico e tecnológico na equipa do projeto ou da tecnologia; Grau de inovação; Potencial de aplicação comercial, com especial enfoque nas áreas geográficas de atuação da Plataforma SKAN, principalmente África e América Latina. Apesar do levantamento e seleção dos projetos e tecnologias não ter sido realizado de forma exaustiva, é objetivo da Plataforma SKAN atualizar e alargar a informação contida neste catálogo a outras áreas sempre que oportuno e, dessa forma, continuar a promover a partilha de conhecimento e tecnologia com vista ao desenvolvimento do sector agrícola, alimentar e florestal a nível internacional. keywords: catálogos skan; catálogos SKAN I+DT e de projetos e tecnologias; catálogos; catalogos skan; catalogo skan

Ver mais

Eventos ·

Top 10 Utilizadores · Ranking